Há uma música do Povo…

29 Nov

Fala de Fado é falar de Portugal.

De um País que vibra e revibra ao som da canção triste, rasgada da garganta num pranto que qualquer humano sente, com a força das ondas, do mar que nos fugiu entre os dedos, com o lamúrio das gentes cujas mãos estão marcadas por uma vida na calçada e colinas da capital, uma canção que prega a Mouraria, Alfama e o

– ó vizinha

gritado de varanda a varanda com flores pelo meio a cava em baixo onde a guitarra portuguesa ecoa pelo espaço apertado.

O Fado é nosso e nós somos o Fado.

Mais que melodia, este património, tão Português como alfacinha, sempre me marcou pela força que pedia ao intérprete, pela concentração que pedia ao público, pelo dedilhar rápido que pedia ao guitarrista, pela singularidade que ele me evoca.

Quando tinha cerca de 15 anos, Mariza montou palco em frente à Torre de Belém e deu-nos o que esta música tem de melhor. É o único concerto que eu lamento verdadeiramente não ter assistido. Quando os meus pais compraram o CD, nas viagens para Lisboa era isso que ouvia. Pela primeira vez soube o que é ouvir alguém cuja voz arrepia. Pela primeira vez soube que o Fado nos vinha de dentro e era mais que uma cantiga até por vezes monótona que se cantava para os lados do Bairro Alto.

O Fado mereceu a voz do povo mas o dedo dos maiores poetas da nação. Há taaaanta letra digna de recordar, tanto poema cantado num tom que nos emociona. Podia deixar aqui centenas de letras e cada uma tão profunda. Deixo esta, porque hoje talvez faça mais sentido do que as demais. Há uma música do povo…

Silêncio, que se vai cantar o Fado.

Há uma música do Povo,
Nem sei dizer se é um Fado
Que ouvindo-a há um ritmo novo
No ser que tenho guardado

Ouvindo-a sou quem seria
Se desejar fosse ser
É uma simples melodia
Das que se aprendem a viver

Mas é tão consoladora
A vaga e triste canção
Que a minha alma já não chora
Nem eu tenho coração

Sou uma emoção estrangeira,
Um erro de sonho ido
Canto de qualquer maneira
E acabo com um sentido!

Nota: por lapso, ontem não cheguei a publicar este texto mas foi escrito no dia 27/11/2011

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: