A culpa dos outros

5 Out

Gostamos de nos queixar. Sobre tudo. Sobre nada. Somos portugueses. Somos permanentemente insatisfeitos. É giro criticar. É engraçado dizer mal. É fácil apontar defeitos. É quase demagógico fazê-lo.

Desde que António Costa chegou à Câmara de Lisboa, em 2007, que a direita, derrotada por maioria absoluta na pessoa da sua estrela pop Pedro Santana Lopes, nunca perdoou o dislate e persegue sem mais não o autarca socialista. Que António Costa não fez e não faz nada. Que a cidade está parada. Que a cidade está suja. Que Lisboa está a morrer e ninguém a ampara. Que não há rasgos de modernidade. Enfim, que António Costa estar ou não estar é a mesma coisa. Na semana passada, Manuel Falcão, que foi o número um da lista do PSD à Assembleia Municipal de Lisboa em 2009, aproveitou o seu espaço de opinião no jornal Metro e acusou os vereadores Sá Fernandes e Manuel Salgado de estarem parados no tempo. Falcão acredita que o que a equipa de António Costa quer é transformar Lisboa num museu, sem pessoas, sem carros, sem nada, enfim, uma cidade cristalizada no tempo. Claro que o que Manuel Falcão deverá querer é uma obra de Frank Gehry em cada esquina. Baixa sem carros? Castelo de São Jorge? Jerónimos? Nah! Para quê? Mamarrachos é que sim, quanto mais pós-modernistas (não confundir com pós-modernos) melhor.

Queixas há também dos cidadãos. Novamente que a cidade está suja. Que os transportes não resposta. Que o ar está poluído. Que não há iniciativas culturais. Pois bem, estes são os mesmo que adoram deitar beatas para o chão; que colocam sacos de lixo junto aos contentores ou aos ponto de reciclagem e não os distribuem pelos recipientes adequados; que nos transportes ficam a fazer barreira à entrada dos autocarros e não ocupam as últimas filas, se calhar com medo de não estarem ao lado da porta; que abre o vidro do automóvel e deita a porcaria pela janela; que deixam os carros parados em segunda e terceira fila, mesmo que seja uma linha de eléctrico; que insistem em andar de carro quando há metro ou autocarro; que preferem ir ao Colombo ou ao Vasco da Gama, ao invés de passear pela Baixa ou pela Avenida de Roma; que ignoram as ciclovias. And so on.

Fora de Lisboa… é este mesmo povo queixoso mas culpado de muitas situações que provocam as queixas que vai votar no Domingo na Madeira e dar mais uma maioria absoluta ao senhor Jardim (espero enganar-me profundamente e engolir estas palavras).

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: