Alberto Enriquecimento João Ilícito Jardim

23 Set

O País esta em choque com a descoberta da divida oculta da Madeira. Talvez não todo o País , apenas aqueles que estiveram em coma nos últimos 20 anos e só agora despertaram para um Portugal a braços com um grave problema de dívida soberana, governado via wi-fi directamente de Berlim. Quem cá esteve a ansiolíticos nos últimos tempos já há muito que desconfiava que aquilo lá na madeira não era só carnaval em trajes menores.

Não só a malta já desconfiava, como havia quem já tivesse muitas certezas acerca disso. Quem ouviu António Costa esta semana na “Quadratura do Circulo” (um programa onde Pacheco Pereira discursa em desacordo com o novo acordo ortográfico), ouviu um dos maiores actores da vida política portuguesa a acusar outros políticos – neste caso os da madeira – de claro enriquecimento ilícito. Ora, este mesmo António Costa faz parte de um partido (by the way chamado socialista) que hoje mesmo votou contra a nova lei do enriquecimento ilícito, usando o mesmo argumento que fora já usado no período socrático para chumbar uma outra proposta do género vinda da esquerda parlamentar. Esse argumento, a chamada inversão do ónus da prova, era segundo os socialistas uma coisa muito muito grave, perversa até, que iria perseguir uma serie de pobres coitados, e que iria conduzir a uma caça as bruxas.

Ora, meus caros como falar de ónus, ainda para mais em noite de clássico não ajuda nada à digestão eu passo a explicar nesta minha forma saloiaomasoquista o que isto significa: O ministério publico desconfiando que algum detentor de cargo público tem vindo a enriquecer de forma anormal, pode a qualquer momento intima-lo a explicar a origem de tal riqueza. O arguido terá então que se defender, comprovando que a origem das receitas é ilícita ou não Ora, isto é a inversão do ónus da prova. O que acontece hoje em dia, é que o Ministério Público para acusar alguém tem que constituir provas muito concretas. Acontece que sem acesso a documentos essenciais nunca poderá provar nada – o que por acaso tem acontecido sempre nos últimos anos.

Esta atitude do PS e em especial do António Costa, faz-me lembrar aquele célebre sketch dos “Gato Fedorento” acerca da posição de Marcelo Rebelo de Sousa no referendo sobre a despenalização do aborto. Diz o António que há enriquecimento ilícito na Madeira, que isso é crime, mas que não se pode acusar Alberto João e os seus comparsas, porque isso é inverter o ónus da prova, e que isso é errado…

Pois bem Alberto, como podes reparar o título do meu texto é uma acusação pura e dura perante a tua pessoa… Convido-te a provar o contrário .

Vou ler o sermão do Padre António Vieira aos peixes…

Advertisements

Uma resposta to “Alberto Enriquecimento João Ilícito Jardim”

  1. Lasf 24 de Setembro de 2011 às 2:58 AM #

    Pois mas mesmo assim o metro do porto ainda tem um calote maior….

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: